Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

Novo ranking mundial de universidades e de repositórios institucionais

O ranking de universidades  e de repositórios institucionais é construído e mantido pelo Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), que abriga o CybermetricsLab, órgão responsável por elaborar o acompanhamento das universidades e repositórios institucionais em todo o mundo, portanto, órgão responsável pelas informações veiculadas nos sítios: http://www.webometrics.info/en/world, onde a USP aparece em 19. lugar entre todas as universidades no mundo. Assim como no sítio: http://repositories.webometrics.info/en/world, onde a USP aparece em 8. lugar com o seu repositório de teses e dissertações.  À USP os nossos parabéns! Isto mostra a importância que a manutenção de um repositório tem no processo de classificação das universidades nesses rankings elaborados pela Cybermetrics Lab.

Outra universidade digna de receber os nossos cumprimentos é a UFRGS, cujo repositório (LUME) aparece em 27. lugar. Outra universidade que foi também classificada entre as 150 primeiras universidades desse ranking é a UnB, que aparece em 111. lugar, com o seu repositório institucional RIUnB. Nessa classificação, aparece também a Universidade Federal do Paraná, com a sua biblioteca digital de teses e dissertações, em 123. lugar. A UFSC aparece em 206. lugar com o seu repositório institucional e a EMBRAPA aparece em 247. lugar com o seu repositório ALICE. É importante salientar que de todas essas organizações, apenas a EMBRAPA e a UFPr não tiveram seus repositórios estimulados com recursos do IBICT.

Anúncios

março 26, 2013 Posted by | artigo, Fontes de Informação OA | , , | 1 Comentário

Novo ranking web mundial de universidades

Recebí hoje um email enviado por Isidro F. Aguillo, do Laboratório Cybertmetrics, comentando sobre a nova edição do Ranking of Web of World Universities, a quem agradeço a gentileza de nos informar sobre essa importante ferramena de divulgação. Segue-a:

O Laboratório Cybermetrics apresenta a 13 ª edição do Ranking Web das Universidades. Este é o ranking mundial com ampla cobertura geográfica, uma vez que fornece informações sobre mais de 12.000 instituições de ensino superior em todo o mundo.

O ranking está disponível no seguinte endereço: http://www.weomtrics.info/. A edição de julho de 2011 foi obtida por meio da ampliação e atualização do diretório das universidades e oferece métodos aperfeiçoados para apresentar com mais precisão o impacto acadêmico das universidades.

O ranking avalia o conjunto de atividades das universidades e, portanto, não se concentra apenas nos resultados das pesquisas, mas considera outros dados como o compromisso dos docentes, a transferência de conhecimentos e resultados tecnológicos, dentre outras missões, de âmbito socio-cultural ou meio-ambiental. O ranking web oferece uma informação contextualizada sobre as melhores instituições, tanto a nível local quanto internacional.
Os principais resultados da atual edição podem ser enumerados como seguem:

• O domínio dos EUA: o ranking segue encabeçado pelas universidades nortte-americanas, já que o lideram o MIT e a University of Harvard, seguidas por Stanford, Cornell e Berkeley. Do total das 200 melhores universidades, 111 estão licalizadas na América do Norte. É interessate destacar que dos países do G7, apenas 16 universidades do Canadá encontram-se citadas entre as 200 melhores, enquanto que apenas uma universidades francesa se encontra nesse grupo.;

• Exclusão digital acadêmica. O fosso entre as universidades norte-americanas e as universidades européias e asiáticas continua. Apenas 58 instituições européias estão listadas entre as 200 melhores universidades, incluindo 10 do Reino Unido, que por sua vez encabeçam na região: Cambridge e Oxford, as melhores classificadas da Comunidade Européia;

• Entre os paises emergentes, o Brasil se destaca, por intermédio da Universidade de São Paulo, que se inclui entre as 50 melhores, tanto como membro do bloco econômico BRIC, como lidera as instituições iberoamericanas, e domina esmagadoramente as universidades latinoamericanas. Em contrpartida, nenhuma universidade da Índia aparece entre as 500 primeiras universidades;

• Derrocada na Ásia. Apesar de algumas das melhores universidades se encontrarem no continente asiático, o seu desempenho tem sido afetado pelas suas políticas locais e baixo nível de internacionalização da sua presença na web. Em um mundo cada vez mais globalizado, as universidades japonesas, e sobretudo as coreanas, estão perdendo oportunidades de melhorar seu impacto a nível mundial;

• As políticas de acesso livre. Os resultados mostram que muitas universidades estão colocando em funcionamento grande respositórios de documentos científicos, o que permitiu ganhar posições no Ranking. Em contrapartida, todavia algumas centenas de instituições com dois ou mais sítios web , que é uma prática errada, que prejudica não apenas a sua posição, mas principalmente, sua visibilidade global nos mecanismos de busca;

• Espanha. As universidades espanholas seguem melhorando suas posições e têm 26 entre as 500 primeiras universidades. As universidades de Sevilla e Complutense encabeçam a tabela, sem chegar a posicionar-se, entretanto, entre as cem melhores.

agosto 4, 2011 Posted by | artigo | , | 5 Comentários

   

%d blogueiros gostam disto: