Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

O PLS 387/2011 enfrenta momento de grandes expctativas

O PLS 387/2011 que foi submetido à CCT – Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, no dia 05 de julho de 2011, portanto, há longínquos, praticamente, 2 anos só agora começa a efetivamente se movimentar, teoricamente, em direção à sua aprovação. No dia 25 de março de 2013, o Senador Cristóvam Buarque devolveu à CCT o seu relatório favorável com emendas favoráveis à aprovação do referido PLS.

No dia 11 de abril de 2013, essa matéria foi incluída na pauta da reunião da CCT, que foi agendada para o último dia 16 de abril de 2013. Na audiência, realizada no dia 16 de abril de 2013, o Senador Cristóvam Buarque realizou a leitura do seu parecer/substitutivo e, em seguida, a senadora Angela Portela pediu vistas e treria um prazo de 5 dias para devolvê-lo à CCT.

No último dia 23 de abril de 2013, realizou-se uma nova reunião, na qual foi adiada a deliberação da referida matéria. Sabemos, outrossim, que será realizada uma Audiência Pública, com data ainda a ser definida e da qual devo participar para apresentar as razões que motivaram a submissão desta matéria ao Senado  Federal.  Enfim, não se sabe ainda, exatamente, o que motivou esse pedido de vistas. Em contato com os assessores da referida senadora, soube que o fato de a matéria tratar de uma questão muito específica, dado que se trata da disseminação da produção científica, algo muito específico e que diz respeito, especialmente, à comunidade científica brasileira, houve uma certa dificuldade por parte dos parlamentares que não estão acostumados com esse tipo de questão. Destas dificuldades, surgiu o interesse em se realizar uma Audiência Pública para discutir mais e amplamente essa questão com o propósito de levar aos parlamentares um maior e melhor conhecimento  sobre esse tipo de informação.

Obviamente, coloquei-me à disposição para quaisquer esclarecimentos e, também, ofereci uma lista de nomes que poderiam participar dessa Audiência Pública para apresentar e discutir as principais questões envolvidas nessa matéria. Assim, sugerimos a participação de um pesquisador, neste caso, sugerimos os nomes dos  profs. Piotr Trzesniak e Ennio Candotti (vice presidente da SBPC), e de um especialista em direitos autorais e, neste caso, sugerimos o nome da colega Bianca Amaro de Melo do IBICT. Sugerimos também o nome de uma especialista em ciência da informação e biblioteconomia, a profa. Dra. Sueli Mara Soares Pinto Ferreira, diretora do sistema de bibliotecas da USP e, também, o nome de uma representante de uma instituição hospedeira de repositórios institucional. Neste caso específico, sugeri o nome de Caterina G. Pavão que administra o repositório institucional da UFRGS.

Estamos, desta forma, no aguardo da programação e agendamento da referida Audiência Pública para discutir e defender o PLS 387/2011.

abril 30, 2013 Posted by | artigo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Enfim, a vida continuou

Maria Carmen Romcy de Carvalho

Na semana passada, nos dias 18 e 19 de outubro de 2012, tive a surpresa, assimcomo a felicidade e alegria de comprovar que os projetos que havia deixado, no IBICT, tiveram continuidade. Nesses 2 dias, foi realizadoo I Encontro do IBICT para a Visibilidade da Ciência Brasileira. Na oportunidade foram apresentados alguns resultados bastante interessantes, pois, hoje o Brasil pode contar com 782 revistas científicas de acesso livre, constituindo-se no segundo país em termos de revistas científicas de acesso livre. Nessa categoria, apenas os EUA possuem maior quantidade de revistas científicas de acesso livre. Em termos de repositórios institucionais (RI), o Brasil conta atualmente com 50 RI . Obviamente, nem todos os repositórios institucionais foram construídos com o apoio dos projetos desenvolvidos pelo IBICT mas, com certeza, 60%  deste total de RI foram construídos com o apoio de recursos oriudndos dos projetos, que foram financiados pela FINEP. Em termos das revistas científicas, seguramente, elas surgiram a partir dos vários treinamentos no uso do software SEER – Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas, software customizado pelo IBICT, resultado de uma ousada atividade de prospecção tecnológica realizada sob a coordenação do autor deste Blog. Portanto, esses resultados ilustram a importância que tiveram, para o Basil, esses projetos financiados pela FINEP. Graças a esses projetos, hoje o País pode contar com um grande número de revistas científicas eletrônicas de acesso livre, assim como, hoje, mais de 30 universidades possuem ou podem vir a contar com seus respectivos Repositórios Institucionais.

Bianca Amaro de Melo

Além disso, o País poderá contar com um portal que dissemina a produção científica brasileira em acesso livre, o Portal Oasis.Br.

Milton Shintaku

A infomação que tenho é a de que este portal se encontra em fase final de construção e, espero, em breve, divulgar o seu link.

Assim, agradeço, sensibilizado, o empenho dos colegas Maria Carmen Romcy de Carvalho, que coordenou,  Bianca Amaro e Milton Shintako, além de toda a equipe do IBICT, que se empenharam na conclusão desses projetos. Trata-se de um grande feito realizado, no contexto da Comunidade Científica brasilera e que marcará a atuação do IBICT na implantação do Open Access no Brasil.

Antes de concluir este post não posso esquecer de agradecer à Maria Inês Militão Rufino que, vem trabalhando

Maria Inês Militão Rufino

árduamente nos processos burocráticos que envolvem todos os projetos relacionados ao acesso livre no IBICT. À todos esses colegas, os meus mais sinceros agradecimentos, pois, no meu impedimento puderam e tiveram a competência de dar seguimento aos importantes projetos cujos resultados foram apresentados durante o evento.

outubro 21, 2012 Posted by | artigo | , , , , , , , , , | 6 Comentários

   

%d blogueiros gostam disto: