Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

OA em 2012: as esperanças se renovam

Início de ano costumeiramente a gente ouve praticamente as mesmas notícias, tais como: excesso de chuvas em algumas regiões brasileiras, enchentes, deslizamento de terras, pessoas desabrigadas, governo prometendo reforço orçamentário para socorrer as vitimas e reforma ministerial. Se não fosse o cenário político que é cada vez mais dinâmico, poder-se-ia dizer que a grande mídia poderia reaproveitar as reportagens e vídeos do início do ano que se passou. O mais triste dessa história é que muda governo e nada muda, mas as desgraças continuam, o problema da infraestrutura continua e todo ano teremos famílias e mais famílias desabrigadas, cidades debaixo d’água, pontes caindo e nada é feito, mesmo com os discursos mais efusivos de que o Brasil, a sexta maior economia global, entrará em uma era de prosperidade. Acho que só a nossa presidente vê isso. Infelizmente, o poder público é míope!

Apesar de todas essas notícias tristes, não podemos deixar de vislumbrar novas esperanças nessa reforma ministerial. A expectativa é de que venha um novo ministro para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) mais sensível às questões ligadas à informação científica e que seja destemido. A minha experiência com dirigentes de instituições ligadas ao segmento da ciência e tecnologia é a pior possível.

Em primeiro lugar, nenhum desses dirigentes foram capazes de ler, avaliar e responder às minhas cartas e mensagens. Encaminhei, no dia 08 de Janeiro de 2011, ao atual ministro do MCTI, Aluísio Mercadante, mensagem encaminhando um Relatório Executivo sobre o OA, com propostas concretas. No entanto, após um ano, hoje, dia 07/01/2012, nenhuma resposta me foi encamihada. Em seguida, encaminhei um relatório similar, acrescido de um outro documento, ao novo presidente do CNPq, no dia 18/02/2011, intitulado Propostas para uma Ciência Aberta e Sustentável. Entretanto, da mesma forma que o seu superior, ministro do MCTI, jamais respondeu à minha mensagem e a resposta que sempre obtive de sua secretária, a sra. Albélia Simões Silva, foi a de que o presidente recebeu o documento e o encaminhou para análise. Até o presente momento, nenhuma dessas autoridades responderam às minhas propostas.  Assim, passados praticamente um ano do envio das propostas, e conforme o cenário atual, nada mais há que se fazer a não ser aguardar os novos dirigentes que serão empossados a partir da refoma ministerial.

O que se depreende do comportamento  desses dirigentes é uma total falta de respeito para com a sociedade brasileira e seus cidadãos, sim porque sou, além de funcionário público, um cidadão brasileiro. As sugestões encaminhadas não dependiam de qualquer investimento orçamentário, mas de apenas  tomada de decisão e, eventualmente, da assinatura de uma ou outra, portaria, ou mesmo o simples acompanhar e agilizar  a aprovação do PLS 387/2011. Enfim, perderam uma grande oportunidade de promover a ciência brasileira e dar-lhe maior visibilidade, além de indiretamente criar mecanismos de controle e acompanhamento dos investimentos em pesquisa científica e melhorar os seus discursos de despedida e, porque não, também de concorrer ao prêmio EPT Award 2011.

Anúncios

janeiro 7, 2012 - Posted by | artigo | , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: