Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

Que ameaças o OA pode trazer aos portais de revistas científicas?

Muitas pessoas, incluindo, principalmente, os tomadores de decisão, vêem as iniciativas preconizada pelo OA com muito receio. Receio do novo, da inovação, etc. Mas, isto acontece por desconhecimento dos fundamentos do acesso livre e do seu objetivo. Dentre os diversos receios, um refere-se à ameaça que a estratégia Verde do OA poderia trazer aos portais de periódicos científicos.

O fato é que o custo de acesso às mais importantes revistas científicas alcançou níveis estratosféricos, provocando a chamada crise dos periódicos científicos e, isto dificultou o acesso à informação científica.

Em resposta a esta crise, pesquisadores de várias partes do globo terrestre iniciaram um movimento chamado Open Access (OA). O seu objetivo é tornar livremente acessível os 2,5 milhões de artigos que são publicados em 28 mil títulos de revistas científicas.

Nos países e universidades onde foi adotado a estratégia Verde do OA, os seus portais de periódicos científicos continuaram existindo em paralelo às iniciativas de acesso livre. Esta estratégia promove o desenvolvimento de uma infraestrutura global de acesso livre. Mas, ao mesmo tempo não podem parar suas pesquisas e, portanto, mantêm os seus portais de periódicos científicos assinados junto aos respectivos editores. Isto, hoje, é necessário porque apenas uma pequena parte dos artigos publicados são acessíveis livremente.

Em futuro próximo, quando o OA for universal, ou seja, quando a totalidade de artigos publicados anualmente forem acessíveis livremente, aí sim esses portais seriam passíveis de desativação. Portanto, as iniciativas do OA poderão tornar-se uma ameaça futura a esses portais, mas não no momento atual e nem nos próximos dois ou três anos. Essa demora vai depender da intensidade de adoção da estratégia preconizada pela via Verde por parte de países e/ou universidades. Mas, o OA não representa uma ameaça imediata a esses portais.

Na realidade, as iniciativas do OA não são uma ameaça a esses portais. Costumo dizer que a estratégia verde do OA é uma ameaça saudável a esses portais, na medida em que, promove o acesso livre à informação científica e, deixa a quem quiser a opção de continuar mantendo os seus portais de periódicos científicos e/ou substituí-lo por um portal de acesso livre e, mais do que isto, promover maior visibilidade, uso e impacto às pesquisas e, além disso, economia de recursos para reinvestí-los em outra rubricas. Os benefícios são muito maiores do que se pensa, só a prática poderá comprová-los. Alguns já tiveram a satisfação de comprová-los, como o Prof. Bernard Rentier da Université de Liège conforme sua entrevista recente falando sobre o repositório institucional daquela universidade, o ORBi, e Eloi Rodrigues da Universidade do Minho, que vem disseminando, em nível global, a sua experiência no desenvolvimento e implantação do RepositoriUM. Além do acesso livre, essas instituições incorporaram novas tecnologias na gestão do investimento e conhecimento científico.

Aproveitando, convido o leitor a assinar a petição pública de apoio ao PLS 387/2011, clicando aqui.

Anúncios

julho 19, 2011 - Posted by | artigo | , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: