Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

Entrevista realizada por Richard Poynder (RP) com o reitor Bernard Rentier(BR)… Parte VI – Uma tarefa inteiramente viável

RP: Os pesquisadores depositam os seus artigos no ORBi, ou o processo é mediado pelos bibliotecários?
BR: Nós preferimos que os pesquisadores o façam. Em termos de qualidade, é muito melhor que se faça dessa forma, e o depósito se realiza com maior rapidez.
Aqueles que têm secretária, eventualmente, solicitam a elas que façam o depósito por eles. Outros podem até mesmo contratar alguém para depositar o artigo para eles. Infelizmente, a qualidade dos metadados é menor em tais circunstâncias, dado que os intermediários são, inevitavelmente, menos familiarizados com os detalhes das publicações.

RP: Então, depositar não é uma tarefa insignificante?
BR: Pode ser uma carga de trabalho enorme inicialmente, caso alguém tenha publicado muitos artigos, até que todos estejam dentro do ORBi. Mas, uma vez que o pesquisador tenha atingido o modo cruzeiro de operação, ou seja, tenha adquirido a habilidade necessária, é uma tarefa perfeitamente viável.
Se as pessoas estão claramente se esforçando para fazer o depósito, no entanto, iremos fornecer ajuda. Geralmente, isto acontece quando há perda dos manuscritos e, aí é necessário então digitalizar os textos e fazer reconhecimento de caracteres.

RP: Claramente o sistema funciona. Hoje o ORBi é o repositório institucional mais ativo, entre seus congêneres, no mundo (é o primeiro do ranking de 1418 RIs). Mas, há alguma evidência para mostrar que, tornando os artigos OA, tenha aumentado o impacto e/ou a contagem de citações para os pesquisadores da Universidade? E, há alguma evidência de que, tornando os resultados das pesquisas da Universidade OA, tenha melhorado a sua reputação, status ou perfil dentro da comunidade científica?
BR: No início, não havia nada para falar, e foi necessário muito convencimento de minha parte para manter o ritmo. Para ajudar nisso, eu usei meu blog, que é amplamente lido dentro da universidade, e eu aproveitava todas as oportunidades que apareciam para expor sobre o assunto.
Eu assumi um fardo muito pesado para mim, mas está provado que valeu à pena – recentemente comecei a receber uma série de comentários de pesquisadores, dizendo ter uma clara impressão de que eles estão sendo mais lidos do que eram antes.
Alguns também estão agora começando a montar alguns dados mais sólidos para mostrar que eles são citados com mais freqüência do que costumavam ser. E muitos relatam que os artigos que eles têm no repositório sob embargo temporário estão sendo solicitados reprints com muito mais freqüência do que costumava acontecer no passado.
Claro, isso tende a ser tudo bastante impressionante. Eu não tenho qualquer cálculo objetivo para demonstrar este
efeito. Mas eu acho que seria difícil, se não for possível, de qualquer forma, fazê-lo de forma convincente.
Eu acrescentaria uma outra coisa: muitas pessoas, inclusive eu próprio, tenho notado que os nossos velhos artigos começaram a viver uma nova vida. Por exemplo, um de meus artigos, publicado em 1985, e que já tinha sido completamente esquecido, começou uma nova carreira, e agora está sendo baixado (downloaded) com freqüência !

Anúncios

junho 16, 2011 - Posted by | Entrevista | , , , , ,

1 Comentário »

  1. […] que a construção e implantação de um repositório institucional, acrescido de um mandato é uma tarefa plenamente viável. Aliás, uma tarefa que exige baixíssimo investimento, mas infelizmente essa questão não foi […]

    Pingback por Uma verdadeira aula sobre o acesso livre ou simplesmente OA | Blog do Kuramoto | junho 22, 2011 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: