Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

O acesso livre: avanços ou paralisia ? (V)

Após defender o Open Access e enfatizar os benefícios deste movimento para os pesquisadores e suas instituições, Stevan Harnad, indica que existem muitas razões para justificar a “Paralisia de Zeno” e curiosamente todas começam com a letra “P”, de paralisia. Ele consegue identificar 19 razões e todas começando com a letra “P”. Para manter a coerência com o artigo de Harnad, vou manter neste post as 19 razões em inglês, dado que nem todas elas podem ser traduzidas com termos iniciados com a letra “P”. Vejam as razões, abaixo:

1. Permission/Piracy: “Como eu posso auto-arquivar? Isto é ilegal.”

Esta é a preocupação mais comum, diz Harnad. E corroboro, pelas minhas andanças e diversas palestras, com Harnad a respeito deste ponto. No Brasil também o medo da pirataria é uma das principais questões colocadas pelas pessoas.

A respeito deste ponto, Harnad, ao invés de argumentar utilizando apenas o discurso, utiliza números concretos que demonstram que esta razão não existe. Segundo Harnad, dos cerca de três quartos de milhões de artigos auto-arquivados na área de ciência da computação, coletados no http://citeseer.ist.psy.edu/ ou dos cerca de meio milhão de artigos, na área de física, auto-arquivados ao longo de uma década e meia, menos de 0,00001% foram retirados ou removidos por motivos de direitos autorais. Este é o ponto chave da estratégia: uma vez para auto-arquivados todos os artigos a sua remoção só pode ser solicitadas pelos editores das revistas que publicaram tais artigos. Se os autores de todos os artigos tivessem simplesmente paralizados considerando se deveriam ou não auto-arquivá-los com receio de que os editores pudessem discordar ou não aceitar tal iniciativa, as áreas de ciência da computação e de fisica teria poucos artigos disponíveis em livre acesso. Não teriam alcançado o acesso livre a cerca de 1,25 milhões de artigos.

Em segundo lugar, ao invés de remover ou solicitar a remoção dos artigos do repositório, os principais editores das revistas da área de física imediatamente após essa iniciativa tornaram-se os primeiros a endossar oficialmente o auto-arquivamento por parte dos autores. Desde então, cerca de 93% das 9000 revistas registradas (e isto inclui virtualmente todas as mais importantes) tem sinalizado com luz verde aos seus autores quanto ao auto-arquivamento., veja as políticas desses editores em http://romeo.eprints.org/stats.php.

Em terceiro lugar, os restantes 7% dos artigos devem ser também auto-arquivados. No caso em que os seus textos integrais tenham acesso restrito, ainda sim, os autores deveriam auto-arquivar os metadados de forma a tornar visíveis o título do artigo, os nomes dos autores, o título da revista ande o artigo foi publicado,datas etc. Isto significa que o artigo continuaria visível ou pesquisável e o pacote de software que administra o repositório poderia, mediante o uso de uma simples tecla, colocar o usuário em contato com o autor do artigo pretendido para obter uma cópia do mesmo. Portanto, mesmo os artigos que tenham acesso restrito, estes estariam a poucas teclas de um pequeno atraso de serem Open Access, acessíveis livremente – Contanto queeles estejam auto-arquivados em repositórios compatíveis com o modelo de interoperabilidade Open Archives Initiatives (OAI-PMH).

Em quarto lugar, e talvez o mais importante, a pirataria (“piracy”) refere-se a roubo de um produto de consumo do produtor, tais como: música, vídeo, software. Auto-arquivamento, em contraste, é uma forma de o produtor (pesquisador) disseminar o seu próprio produto (resultdo das pesquisas) com o propósito de maximizar o acesso e impacto.

Faltam ainda 18 razões, apresentá-las todas neste post o tornaria muito longo. Portanto, farei novamente uma pausa.

Anúncios

novembro 25, 2010 - Posted by | Sem categoria | , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: