Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

O acesso livre: avanços ou paralisia ? (III)

Dando continuação aos comentários e reprodução, em português, do artigo publicado por Stevan Harnad, apresentarei, mais do que simples comentários, mas reproduzirei partes importantes do referido artigo.

No momento em que Stevan Harnad questionava a lentidão do processo de implantação do Open Access, resolve fazer uma pausa para em seguida perguntar: por que os pesquisadores, na era do papel, perdiam tempo e fealizava despesas enviando, pelo correio, reimpressões de seus artigos a quem os solicitava? Com uma certa dose de ironia, ele faz o seguinte questionamento: os autores não querem simplesmente publicar os resultados de suas pesquisas e então receber os royalties das vendas da publicação de seus artigos? Para em seguida responder: Não os pesquisadores. Estes publicam os resultados de suas pesquisas para receber os seus salários e garantir as subvenções de pesquisa (research grants). Além disso, o seu interesse é que suas pesquisas sejm avaliadas e recompensadas não apenas com base na quantidade, mas principalmente na qualidade e importância – e sua qualidade e importância dependem de seu impacto.

E qual seria esse impacto? A cura do câncer e o aquecimento global é o que o leigo pensa quando se fala em pesquisa. Na realidade, Harnad argumenta que, a pesquisa é um processo lento, coletivo e cumulativo, com avanços pontuais e ocasionais. E, mesmo estes avanços são principalmente referentes a pesquisa básica, medidos em termos ainda mais da pesquisa gerada. Apenas raramente esses resultados contribuem diretamente para aplicações como a cura do câncer. Ele continua a sua argumentação dizendo que para que uma pesquisa possa avançar ou progredir, seja na forma de pesquisa básica, seja na forma de aplicações como a cura do câncer, primeiro os seus resultados têm que ser acessados e usados por aqueles que podem edificar e aplicá-los. Aí está a razão pela qual nenhum autor de um artigo publicado em revista científica (com revisáo por pares) já solicitou ou solicita o pagamento dos usuários pelo privilégio de acessar o seu artigo: isto restringiria o acesso aos resultados de uma pesquisa, como também restringiria o impacto e o progresso da pesquisa. Por conseguinte, isto restringe também o progresso do pesquisador e de sua própria carreira, assim como o retorno financeiro dos investimentos, por parte das agências de fomento, em sua pesquisa.

Harnad teve o cuidado de estender a sua argumentação para no fim dizer e justificar que os pesquisadores não querem ser pagos pelo acesso aos seus artigos: isto seria uma forma de restrição. Os pesquisadores apenas desejam, portanto, que os seus artigos sejam lidos, usados e aplicados. Mais do que isto, que dêem origem a novas pesquisas ou aplicações, tanto quanto possível e sem restrições.

Vou parar por aqui, porque essa matéria esá ficando muito extensa. Continuarei este interessante artigo no próximo post.

Anúncios

novembro 19, 2010 - Posted by | Sem categoria | ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: