Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

Curiosidades das iniciativas da NPG e Royal Society

É sabido que os direitos do autor compõem-se do direito de distribuição e direito moral. Hoje, as editoras assumem o direito de distribuição, mas os autores nada recebem do lucro que as editoras auferem desta distribuição e tampouco a título do direito moral que eles repassam às editoras no momento da submissão dos seus trabalhos. Ou seja, na final das contas os autores entregam gratuitamente os seus direitos autorais às editoras. Nas políticas adotadas pela Natural Publishing Group (NPG) e pela Royal Society, os autores além de nada receberem e, para garantirem o livre acesso aos seus trabalhos publicados nas revistas editadas pelas editoras NPG e Royal Society terão de pagar. Seria este um modelo de negócio justo? Justo ou não, pelo menos é um modelo que garante o livre acesso aos resultados de pesquisa.

Outra curiosidade interessante é mostrada na política da Royal Society, que dá ao autor, explicitamente, a liberdade de publicar o pre-print do manuscrito do seu artigo submetido às revistas daquela editora. Ora, o pre-print pertence ao autor  e somente ele poderá decidir se quer ou não depositá-lo em algum repositório digital de acesso livre. Trata-se de uma prerrogativa do autor.  É um pequeno detalhe, mas que é digno de nota, pois mostra até onde vai o entendimento das editoras quanto aos direitos do autor.

Anúncios

maio 23, 2010 - Posted by | Sem categoria | ,

2 Comentários »

  1. Teria alguma definição no caso brasileiro sobre direitos autorais para open access.

    Comentário por Sandra | abril 27, 2011 | Resposta

    • Olá Sandra,

      a questão é a seguinte: os pesquisadores ao submeterem e publicarem seus artigos às revistas científicas, eles entregam gratuitamente os seus direitos autorais que incluem o direito patrimonial. Ou seja, as revistas vendem e distribuem suas revistas sem pagar um tostão para os pesquisadores que nelas publicam.

      O movimento do acesso livre propõe duas estratégias: 1) que os pesquisadores publiquem preferencialmene em revistas científicas de acesso livre;
      2) que os pesquisadores que publicam em revistas não-OA depositem uma cópia de seus artigos em repositórios de acesso livre. Portanto, o acesso livre não corrompe os direitos de autor, pois, se os autores fazem o depósito de seus artigos, eles ao fazerem o auto-depósito automaticamente estão autorizando o acesso livre aos seus artigos e, efetivamente a sua utilização. Em outras palavras, os direitos autorais são totalmente respeitados pelas iniciativas de acesso livre. É bom esclarecer que o autor ao depositar o seu artigo, ele registra os metadados que descrevem os seus artigos, ou seja: nome de autor, resumo, assunto, data de publicação, etc. Assim, fica registrado o trabalho do autor e a data de sua publicação.

      Hoje, mais de 63% dos editores de revistas científicas autorizam o auto-depósito de artigos publicados em suas revistas. Portanto, nada muda na questão dos direitos autorais.

      Cordiais saudações.
      Helio Kuramoto

      Comentário por Helio Kuramoto | abril 27, 2011 | Resposta


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: