Blog do Kuramoto

Este blog se dedica às discussões relacionadas ao Open Access

Distribuição de servidores: por que?

O edital publicado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) não constitui mero instrumento de distribuição de recursos tecnológicos às universidades e instituições de pesquisa públicos.

O IBICT ao promover essa distribuição de recursos tecnológicos às instituições de ensino superior e de pesquisa públicos estimula não apenas o simples desenvolvimento de repositórios institucionais ou implementa a estratégia da via verde no país. Mais do que isso, o Ibict resgata o seu papel de instituição promotora do fluxo de informação em ciência e tecnologia e executora de políticas nacionais de informação científica. Em outras palavras, ainda que sem qualquer mandato legal, o Ibict promove uma forma  sistemática de registro e disseminação da produção científica brasileira, tendo como resultado o fornecimento acesso livre à informação científica produzida pela comunidade científica desta nação.

No passado, o Ibict fez uma tentativa análoga mas que não teve o resultado esperado por diversas razões. Uma destas razões foi o momento tecnológico vivido pelo país. O modelo centralizado utilizado pelo IBICT não econtrava suporte tecnológico que viabilizasse tal iniciativa, a das bibliografias especializadas. As bibliotecas especializadas participantes daquela iniciativa eram também desprovidas de infra-estrutura capaz de suportá-la.

Diferentemente daquele modelo e daquele momento, hoje o cenário tecnológico é outro e as soluções tecnológicas existentes são capazes de suportar o modelo que ora o Ibict vem propondo. Um modelo totalmente descentralizado e baixíssima demanda de investimento em infra-estrutura tecnológica. Portanto, vivemos um cenário oposto ao daquele em que as bibliografias especializadas brasileiras naufragou.

A única coisa que não mudou foi a dependência dos provedores de informação, ou seja, das bibliotecas universitárias e dos autores da produção científica brasileira, os pesquisadores.

Neste processo, é importante entender o papel do IBICT. O Instituto desempenha o papel de facilitador e integrador. Assim, o Ibict fornece à comunidade as ferramentas, software e padrões de integração ou interoperabilidade. Ao fornecer essas ferramentas, o Instituto coloca à disposição das bibliotecas o instrumental necessário para que se promova o registro e a disseminação da informação.

Cabe, assim, às bibliotecas universitárias a discussão e estabelecimento de uma política institucional de informação que garanta o registro e a disseminação da produção científica institucional. Cabe ainda às bibliotecas sensibilizar os pesquisadores e todas as instâncias diretivas da universidade ou do instituto de pesquisa a importância desse regsitro e de sua respectiva disseminação.

Ao IBICT caberá o fornecimento de todo o instrumental (software, mecanismos de integração e referências capazes de subsidiar as bibliotecas para a discussão e estabelecimento de políticas institucionais de informação.

Caberá ainda ao IBICT a integração e o incremento de disseminação das informações depositadas em cada repositório institucional.

Ao comentar todos os meandros embutidos nesta iniciativa aderente ao movimento do acesso livre, vislumbro que o IBICT não apenas empunha a bandeira do acesso livre, mas principalmente, o Instituto planta a semente do registro e disseminação da produção científica, em acesso livre. Esta semente deverá proporcionar a colheita de frutos maduros como os que seguem:

– Maior visibilidade à produção científica brasileira;

– Maior visibilidade às nossas instituições de ensino e pesquisa;

– Maior uso e impacto aos resultados de nossas pesquisas;

– Maior incremento no registro de patentes;

– Maior integração entre os grupos de pesquisas brasileiros e seus congêneres atuantes no estado-da-arte;

– Maior transparência aos investimento em ciência no país;

– Maior governança na gestão de ciência no país;

– Menor espaço para plágios e manipulação de resultados;

– Maior qualidade nos resultados de nossas pesquisas.

Enfim, o que foi proposto e que se encontra em execução, mais do que simplesmente desenvolver e implantar o acesso livre no País, é um modelo de registro e disseminação da produção científica brasileria que dá subsídios para a discussão e estabelecimento de políticas nacionais de informação científica.

Enfim, o IBICT resgata o seu papel, a sua missão e, principalmente o respeito institucional perdido nos últimos 20 anos.

Anúncios

março 17, 2009 - Posted by | Sem categoria | , ,

8 Comentários »

  1. Prezado Kuramoto

    Um item que considero importante e que integra a relação que vc destacou é a oportunidade de atualização das bibliotecas universitárias. Sabe-se que a vontade de acompanhar o progresso institucional esbarra, por vezes, na falta de atualização de software e hardware. A iniciativa do Ibict oportuniza aos profissionais conhecer novas ferramentas e ampliar seu leque de conhecimento. Parabéns pelo esforço !

    Comentário por Angélica | março 17, 2009 | Responder

    • Prezada Angélica,

      obrigado pela sua mensagem e pelo apoio. Trata-se de uma inicitiava que traz benefícios a todos os segmentos da comunidade científica, além de valorizar a classe dos bibliotecários. A simples iniciativa promovida pelo Ibict já promoveu a formação de uma competência nacional no desenvolvimento de repositórios, assim como no desenvolvimento e uso do modelo de interoperabilidade Open Archives. Considero que essas iniciativas do Ibict são iniciativas estruturantes e diversos benefícios serão experimentados nos vários segmentos da comunidade científica. No entanto, esses benefícios correm o risco de não serem alcançados se as universidades e os seu pesquisadores não forem sensibilizados quanto a importância destas iniciativas. Daí a importância dos profissionais da informação.

      Cordiais Saudações.
      Hélio Kuramoto

      Comentário por kuramoto | março 17, 2009 | Responder

  2. Prezado Kuramoto

    Um item que considero importante e que integra a relação que vc destacou é a oportunidade de atualização das bibliotecas universitárias. Sabe-se que a vontade de acompanhar o progresso institucional esbarra, por vezes, na falta de atualização de software e hardware. A iniciativa do Ibict oportuniza aos profissionais conhecer novas ferramentas e ampliar seu leque de conhecimento. Parabéns pela iniciativa

    Comentário por Angélica | março 17, 2009 | Responder

  3. muito bom!

    Comentário por teste | março 28, 2009 | Responder

  4. […] em Ciência e Tecnologia (Ibict/MCT) responde a pergunta em artigo publicado em seu blog e enviado pelo autor ao Jornal de […]

    Pingback por Bloco de notas » Por que distribuir recursos tecnológicos às instituições de ensino e pesquisa? | abril 4, 2009 | Responder

  5. I will go to you.,

    Comentário por Anne-Marie Foley | julho 3, 2009 | Responder

  6. great tips. I enjoyed reading this,

    Comentário por NIKOLAOS SKOURLIS | julho 3, 2009 | Responder

  7. Good One!,

    Comentário por Donald Newton | julho 3, 2009 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: